Publicado por: Alef Mansur | março 23, 2010

Instrumentos Usados

Sax Tenor

Jupiter JTS889SG ArtistLeia descrição clicando aqui

B&S Blue Label - Fotos e Comentário

R$ Consulte

Sax Alto

Conn Transitional - Fotos e Comentário

R$ Consulte

Flauta Transversal

Yamaha YFL24S - Modelo estudantil, equivalente a YFL221, prateada; este modelo não tem a chave de Mi mecânico. Tem som encorpado e sua afinação está “em cima”. Está revisada e acompanha estojo (não original) e Pad Savers.

R$750,00

Nikkan FL23 – Flauta japonesa, muito bem construída; inteira produzida com Alpaca. É um modelo estudantil, mas soa com muita facilidade, para os padrões que temos; principalmente na 3a. oitava. Esta funcionando perfeitamente. Surpreendente!

R$550,00

Falar com o Vendedor

HOME

Publicado por: Alef Mansur | fevereiro 10, 2010

Clarinete Yamaha YCL 250

    O Clarinete Yamaha YCL 250 é produzido com resina ABS e é, por conseguinte, muito resistente à unidade, e também, fácil de limpar. Projetado para cumprir todas as exigências de um estudante em iniciação. Resultando na facilidade para emissão e sustentação do som, equilíbrio entre os registros. Seu sapatilhamento tem grande longevidade, pois é impermeável e não sofre ação abrasiva de óleos lubrificantes. Sua sonoridade é brilhante, ao que se pode, se desejado alterar com a escolha de uma palheta de timbre mais escuro.

    Produzido na Indonésia*, mantêm todo o critério de exigência, observado por especialistas de montagem japoneses; mantendo a Yamaha no topo do controle de qualidade de instrumentos musicais.

 *Toda linha de produção de instrumentos Standard da Yamaha, está sendo transferida para a China e a Indonésia, por isso instrumentos de fabricação japoneses estão cada vez mais raros. A produção desses instrumentos não sofreu nenhuma perda, seja de material ou qualidade do serviço de montagem.

 

Características:

- Corpo de ABS Pressurizado;

- 17 chaves;

- Sistema Bohem de digitação;

- Chaves Niqueladas;

 

Acessórios:

- Boquilha Yamaha 4C Standard;

- Palheta Rico Grand Concert Select Thick Blank #3;

- Acompanha o Cleaning Swab-M, o Polishing Cloth e o Cork Grease da Yamaha;

- Abraçadeira de metal niquelado Standard com tampa de plástico;

- Manual de conservação com diagrama funcional de digitação;

- Estojo de resina com 6 compartimentos e fecho automático embutido;

- Certificado de garantia valido por 12 meses.

Consulte nosso preço clicando aqui

Contato: Alef Mansur

E-mail.: alefmansur@gmail.com

Publicado por: Alef Mansur | setembro 15, 2009

Sax Tenor B&S Blue Label

Instrumento: Sax Tenor

Marca: B&S (Blechblas & Signalinstrumentenfabbrik)

(VEB Vereniging van Effectenbezitters_ Hoyer, Scherzer, Weltklang und Wolfram_ Blechblas)

Modelo: Blue Label

Corpo e Chaves: Germany Silver Plated

Número de Série: 9xxx

Ano de fabricação: 1975 – 35 anos

Classificação: Vintage

OBS.: Profissional, Raríssimo

(Edição Limitada)

Descrições:

Projeto ergonômico exclusivo

G# articulado

F frontal

Com chave de F#5

Bb na mão esquerda (LH)

Campana Destacável

Dedeira de metal fixa

Madrepérolas autênticas

Três níveis de encaixe da correia

Comentário:

  Inteiramente produzido à mão pela cooperativa de construtores de instrumentos musicais na cidade de Markneukirchen&Klingenthal na Alemanha, este saxofone é muito provavelmente o único no Brasil. Oriundo de uma série de dois modelos chamados Blue Label e Red Label, foi do de etiqueta azul que menos exemplares se produziu. Os dois foram manufaturados com um tríade metal muito brilhante e ultraressistente as intempéries conhecido como pratalemã. Portanto, não tinham outro acabamento senão o da exata cor do metal.

  O construtor conseguiu aqui materializar todos os anseios dos mais exigentes saxofonistas; apresentando neste instrumento todas as qualidades sonoras e de íntima satisfação intrínsecas nos melhores saxofones produzidos ao redor do mundo, transformando-o num deles. Com um forte apelo às características sonoras do Mark VI da Selmer. “A semelhança é assombrosa e fascinante”. Com destaque para a qualidade timbrística na região aguda e a homogeneidade de seu equilíbrio. O prazer de tocá-lo… E o total poder de controle de matizes e coloridos sonoros que oferece é tão indescritível e comovente que torna qualquer músico inexperiente num veterano saxofonista de Jazz.

  – Tocá-lo é extremamente excitante… Seu som é capaz de sensibilizar ouvidos inesperientes em reconhecimento ao seu conjunto sonoro; extremamente rico em harmônicos.

  O seu projeto ergonômico é exclusivo no tocante a disposição da mesa, um pouco mais alta; e na colocação da chave de Fá sustenido agudo (F#5) muito próximo da chave de Si bemol lateral (Bb RH). O que simplifica a execução na 3ª. Oitava. Sua digitação de forma geral é bastante cômoda, pois as chaves 1B, 2A e 3G, 4F, 5E e 6D declinam para esquerda e para direita respectivamente; proporcionando uma sensação única de conforto.

  O seu estado de funcionamento é perfeito. Não apresenta vazamentos ou mecanismos com dois tempos. Apenas o parafuso de ajuste do todel não é o original.

Quanto Custa

Publicado por: Alef Mansur | setembro 14, 2009

Sax Alto Conn Transitional

Instrumento: Sax Alto

Marca: Charles Gerald Conn

Modelo: Transitional

Corpo e Chaves: Silver Plated

Número de Série: 245 xxx

Ano de Fabricação: 1932 – 78 anos 

Classificação: Vintage

OBS.: Profissional, Raríssimo

(Edição Limitada)

Descrições:

Interior da campana dourado

Microcontraparafusos (inibidem folgas nas hastes)

Ressonador do F3/F4

Bb LH e F frontal

Chave de trinado do G#3/G#4

Dedeira de metal, regulável e anatômica

Todel com duplo soquete

Madrepérolas autênticas

Regulador de afinação (Microafinador)

Campana com Engraved

 

Comentário:

  Numa época onde apenas a superação das linhas profissionais justificava um novo lançamento_ não se concebiam instrumentos intermediários ou estudantis_ nasceu o Transitional Model da Conn. Sucessor direto do New Wonder (Chu Berry – de 1925 à 1930) e o predecessor direto do Naked Lady (Lady Face – de 1934 à 1937). O Conn Transitional foi produzido entre 1931 e 1933, seguindo uma tendência de produção mundial, utilizavam-se de uma chapa de prata.

  O conjunto de suas qualidades sonoras: projeção, volume, afinação, timbre e a regularidade entre registros são o maior exemplo de competência na produção de um instrumento musical com o mais refinado nível de perfeição. Tornando fáceis as obtenções das matizes, sutilezas e expressões pessoais de cada saxofonista.

  - Seu som é a expresão mais fidedigna de como deve soar um Sax Alto, equilibrado, afinado e potente em sua projeção sonora. Com o auxílio e leveza de seu sistema mecânico, tocá-lo é uma experiência sublime. O que se ouve em meio a um naipe de metais é a qualidade límpida que destaca seu som puro e rico, como se pudéssemos enxergá-lo num oscilograma quase perfeito. Seu funcionamento é ainda hoje o mais leve e preciso que conheci.

  É altamente silencioso e tem em sua função ergonômica a representação de uma época de inovações e muitas experimentações; suas chaves são bem próximas ao corpo do instrumento, se comparadas com a atual produção de saxofones, na mesa o Bb2 é acionado num movimento para a direita, tornando cômoda a aplicação desta nota.

  Este sax… Desconheço paridades no Brasil; está preservado em todos os seus aspectos físicos e de funcionamento. Não tem marcas de machucados, picotes, nem tão pouco, arranhões. Está devidamente revisado, não apresenta vazamentos nem ações com dois tempos. Eventuais desgastes são a consequência dos seus 78 anos de vida útil aplicada; estes não comprometem a sua performance nem a sua aparência.

 Quanto Custa

PS.: Leia-se no Fórum: http://clubedosax.com.br/viewtopic.php?f=1&t=5821#p39879

Publicado por: Alef Mansur | setembro 18, 2008

Sax Alto Arena PAR 2001

Comentário: Alef Mansur

  Compõe uma realidade no mercado de instrumentos musicais que se desenvolve plenamente desde os primeiros dias do século XXI, e assim, abrem precedentes estimulando o mercado para tantas novas marcas.

  - O sax alto Arena é um instrumento que traduz o desejo e materializa-se na ânsia de estudantes a pouco iniciados. Sua sonoridade é surpreende se não posto em pronta comparação com marcas evidentemente superiores; porém, não obtém destaque com sua natural projeção sonoro, talvez ocasionado pela tão simples boquilha que o acompanha.

   Com acabamento laqueado e um detalhado trabalho de revisão mecânica preventiva oferecida pelo importador; além da prerrogativa de mais uma criteriosa inspeção no ato da compra, este saxofone destaca-se como um investimento de baixo custo, porém, sem as moléstias (revisões constantes) que assolam a grande maioria de seus congêneres.

   Mecânica e ergonomicamente avaliado, comporta-se dentro de padrões aceitáveis, se diferenciando em algumas alturas e “designs” de chaves sem criar desconforto. Para ser tocado, exige um pouco mais de resistência da coluna de ar por seu projeto acústico e material empregado. Seus ressonadores são plásticos e as madrepérolas, de poliéster.

  Adequa-se ao seu primeiro contato com o mundo dos saxofones; mas, não condiz com o rigor das atividades propostas no meio acadêmico.

Características:

ü  Corpo e chaves laqueados;

ü  Campana destacável (este acessório representa agilidade em manutenções eventuais);

ü  Gravuras na campana;

Recursos:

ü  F5 frontal (chave à ser acionada com o dedo indicador da mão direita);

ü  Bb na mão esquerda chave geralmente menor com madrepérola_ côncava ou convexa dependendo do fabricante_ que pode ser acionada simultaneamente com a chave de Si, pelo dedo indicador ou pelo dedo médio, simplesmente);

ü  Chave de F# agudo (refere-se a nota da 3ª. oitava Fá#5, este recurso permite uma 3ª. opção de digitação);

ü  G# articulado esta chave é movida por qualquer mecanismo da mesa, facilitando algumas passagens);

Acessórios:

ü  Boquilha completa;

ü  Correia de nylon com gancho de metal com fecho automático;

ü  Palhetas Flying Goose #2;

ü  Reedgard (para duas palhetas);

ü  Pad saver (para o corpo);

ü  Cork grease;

ü  Flanela e luvas;

ü  Estojo de ABS com 4 compartimentos e fechos simples;

ü  Selo de Garantia (válido por 12 meses);

Quanto Custa

Artigo Publicado em: http://www.playtech.com.br/produto.asp?cod=259880

 

Publicado por: Alef Mansur | setembro 11, 2008

Sax Tenor Yamaha YTS 62E

Comentário:

Alef Mansur

.

  Este sax extrapola suas características musicais e assume o status de jóia preciosa; assim conduzido, da linha de montagem, por toda sua vida útil; inclusive no mercado de usados. E por isso destaca-se também como um investimento com razões previdenciárias, (a força da marca permite-nos sempre dizer: “tenho um Yamaha para vender”. Com excepcional aceitação e pouca ou nenhuma desvalorização.

 

    Expoente na história da produção de saxofones contemporâneos e por isso o sonho de consumo da grande maioria dos saxofonistas de todos os níveis intelectuais; assim como um dos mais populares do mundo e mais acessível que seu concorrente francês, o Yamaha 62 é o equipamento profissional mais consumido pelos brasileiros; e disparado… O preferido dos tenoristas.

 

    De sonoridade mais encorpada que no modelo anterior o Tenor Yamaha 62E tem graves potentes e seu som é muito equilibrado entre os registros além da clareza das notas, a limpidez e a potencialidade de sua projeção preenche o ambiente aonde soa com uma extraordinária expressão musical envolvendo cada ouvinte.

 

    — Encontro no YAS do mesmo modelo ainda mais qualidades que no tenor e acima de tudo, sinto uma magnífica satisfação em tocá-lo.

 

    A evolução do projeto até este modelo proporciona-nos conforto. Na abertura de ângulo do Todel em relação ao corpo do instrumento e por algumas revisões no posicionamento das chaves, traduzidos como melhoramentos ergonômicos; seu “design” não sofreu modificações.

 

Características:

 

 - Corpo e chaves dourados;

 - Todel “G1” (tem o ângulo de abertura maior em relação ao corpo do instrumento);

 - Campana com o logo da Yamaha e gravura artística feita à mão;

 - Madrepérolas (de poliéster);

 - Reforço estrutural (as colunas de sustentação das hastes e chaves são soldadas numa chapa, por sua vez soldadas ao corpo do instrumento);

 - Parafusos para micro regulagem (catalisa o processo de montagem e revisão);

 - Limitador de abertura de chaves na campana, regulável (possibilita o ajuste da afinação);

 - Ressonadores plásticos (apesar da constante preocupação e da notória preferência pelos ressonadores de metal a qualidade implícita num sax Yamaha é sobressalente);

 

  Recursos:

 

 - F5 frontal (em forma de gota);

 - Bb na mão esquerda;

 - Chave de F# agudo;

 - G# articulado;

 - Bb da “mesa” (com desenho anatômico e interligado ao C# por um balancim).

 

    Acessórios:

 

 - Correia de nylon com gancho plástico ulta resistente (com estreitamento do vão na extremidade, permitindo assim uma conexão segura);

 - Boquilha Yamaha #4C standard completa (compõe o kit, mas não agrega valor nem ao equipamento, nem a sua evolução acadêmica);

 - Palheta Rico #2,5;

 - Cork grease Yamaha tipo bastão (hidrata e lubrifica a cortiça do todel);

 - Flanela (somente para limpeza externa);        

 - Estojo de madeira (com 4 compartimentos, acabamento super-luxo e fechos com chave, revestido com tecido especial impermeável e com alça tira-colo);

 - Certificado de Garantia (válido por 12 meses).

.

 

Quanto Custa

.

 

 

  Artigo Publicado em: http://www.playtech.com.br/produto.asp?cod=162852

Publicado por: Alef Mansur | setembro 9, 2008

Sax Alto Yamaha YAS 62II

Comentário: Alef Mansur 

  Um dos grandes expoentes na história da produção de instrumentos musicais de sopro contemporâneos e por isso o sonho de consumo da grande maioria dos saxofonistas iniciantes, ou não; assim como um dos mais populares do mundo e mais acessível que seu concorrente francês, o Yamaha 62 é o equipamento profissional mais consumido pelos saxofonistas brasileiros.
  Este sax extrapola suas características musicais e torna-se também sinônimo de status pelo requinte e a beleza em seu acabamento e seus acessórios; e destaca-se como um investimento com razões previdenciárias, pela pouca ou nenhuma desvalorização que sofrerá no mercado de usados.
- Sua sonoridade é mais encorpada (com mais harmônicos graves) e sua projeção preenche e envolve os ambientes aonde soam com uma extraordinária expressão musical.
Embora alguns ainda desconheçam temos convivido com uma evolução do “62”; trata-se do YAS 62 Série II, com inovações sonoras, de “design” e ergonômicas, além do aumento da espessura do metal no seu corpo. Em conseqüência destas mudanças, seu som assemelha-se bastante ao do Selmer Super Action 80 II_ não digo, portanto, que seja esta uma ação proposital, mas para nos saxofonistas é importantíssimo uma conclusão de referência como esta. Outras novidades notam-se na separação da “aranha”, tradicionalmente inteiriça nos Altos desde o Vito japonês, na abertura do ângulo do todel em relação ao corpo do instrumento e no novo desenho que estampa a campana.

Características:
Corpo e chaves dourados;
Campana destacável;
Todel G1 (de metal mais espesso e ângulo mais aberto em relação ao sax; o que torna-o na pratica bem mais confortável);
Dedeira regulável (dedeira de plástico para o polegar da mão direita, com ajuste na nos dois sentidos, horizontalmente);
Campana estampada (com o logotipo e gravura artítica feita à mão);
Parafusos para micro-regulagem (são facilitadores aplicados ao processo de montagem e regulagem do instrumento);
Desenho ergonômico exclusivo (considerado um dos instrumentos mais confortáveis do mundo. A mudança de ângulo no todel contribuiu bastante);
Ressonadores plásticos (não intervem na qualidade do produto);
Limitador de abertura das chaves na campana, regulável (permite pequenas correções de afinação);
Fabricado no Japão (a linha de produção para os “Standard Models” está paulatinamente sendo transferida para a China e Indonésia, assim fiquem despreocupados; pelo menos pelos próximos 10 anos os “Professional Models” serão fabricados no Japão);

Recursos:
Chave de F#5;
F frontal;
G# articulado;
Bb2 ligado a chave de C# na mesa, por balancim;

Acessórios:
Correia de nylon com gancho plástico ultra-resistente;
Boquilha Yamaha #4C Standard;
Abraçadeira e Cobre-Boquilha de metal;
Palheta Rico #2,5;
Cork grease Yamaha;
Flanela;
Estojo de madeira com 4 compartimentos, acabamento super luxuoso, fechos com chave, revestimento com tecido especial impermeável e alça tira-colo;
Manual do usuário (com diagrama funcional para a digitação, dicas de limpeza e conservação);
Certificado de garantia (válido por 12 meses).

Quanto Custa?

Artigo Publicado em: http://www.playtech.com.br/produto.asp?cod=162845

Publicado por: Alef Mansur | setembro 5, 2008

Sax Tenor Jupiter JTS889SG

Comentário:

Alef Mansur

 

  Reproduz as características sonoras dos instrumentos produzidos pelos melhores fabricantes.

 

    – De fala áspera e potencialmente grave, tem excelente projeção (não direcionada) e equilíbrio entre os registros, tanto no timbre como na afinação. Este é um instrumento contemporâneo com… “pegada!” de saxofone antigo, é maravilhoso.

 

    Assim é o Sax Tenor JTS889SG Artist, modelo mais avançado da “800 SG Artist Series” da Jupiter, produzido em Taiwan pela gigante KHS Musical Instruments Company. Para toda a família de saxofones, os corpos são produzidos com prata alemã, seu todel é de prata maciça e suas chaves douradas. As molas do tipo agulha são de aço, mais ágeis e duradouras; o sapatilhamento, manufaturado com alta tecnologia, é impermeável, o que prolonga sua vida útil e onde são também instalados ressonadores de metal.

 

    Sua disposição ergonômica aguça a sensação de conforto e resulta numa digitação dinâmica; sustentada pela facilidade obtida na emissão sonora, proporcionada pelo material de sua composição.

 

Características:

 

ü Corpo de latão banhado a prata (este acabamento é potencialmente mais resistente as intempéries);

ü Chaves de latão com acabamento dourado (até 0,5% cianeto de ouro diluído);

ü Todel de prata maciço (produzido com prata 925; assim aquece mais rápido, oferece menos resistência a passagem do ar e aumenta significativamente sua sonoridade);

ü Campana com logotipo e desenho artístico (selo mecânico e gravura manual);

ü Madrepérolas originais;

ü Parafusos para micro regulagem (catalisa o processo de montagem e revisão);

ü Ressonadores de metal (lhes conferem mais brilho à sonoridade);

 

Recursos:

 

ü F5 frontal (em forma de gota);

ü Bb na mão esquerda;

ü Chave de F# agudo;

ü G# articulado;

ü Bb da “mesa” (com desenho anatômico e interligado ao C# por um balancim).

 

    Acessórios:

 

ü Correia tipo “padded” com gancho plástico (fecho mecânico);

ü Boquilha Jupiter #4C standard completa;

ü Palheta Vandoren V16 #2,5 (o invólucro mantém a unidade do momento em que foi  manufaturada);

ü Cork grease tipo bastão (serve para lubrificar a cortiça do todel, mantendo-a hidratada);

ü Flanela (apenas para limpeza externa);       

ü Estojo de madeira com 4 compartimentos, acabamento de luxo e fechos com chave;

ü Certificado de Garantia (válido por 12 meses).

 

Artigo Publicado em: http://www.playtech.com.br/produto.asp?cod=297714
Publicado por: Alef Mansur | setembro 5, 2008

Sax Alto Yamaha YAS275E

Comentário:

Alef Mansur

 

 

  O YAS275 Standard Model é disponibilizado com duas opções de acabamento, inteiramente dourado ou inteiro de prata alemã, o que lhe confere uma sonoridade ainda mais fascinante. Seu equilíbrio entre os registros e a facilidade na emissão sonora permite-me dizer que este é, para a nossa realidade, o melhor saxofone do mercado nacional, isolando-o nesta categoria e firmando-o como a opção mais acessível para quem vislumbra o ingresso na universidade ou no conservatório, visando-o também com um investimento de longo prazo.

    

  — Tocá-lo é extremamente fácil… Parece nem oferecer resistência a passagem da coluna de ar; sua emissão sonora é ampla, os graves potentes, a afinação precisa e o que se ouve é um som “macio”, “doce” e envolvente. Sua concepção define-se por reproduzir as características mínimas, de afinação e equilíbrio entre os registros, necessárias a um aprendizado também, intuitivo.

 

     Suas formas arredondadas, as alturas e ângulos de abertura das chaves, o cuidado no acabamento sem permitir que restem cantos vivos e até a sutil percepção que temos das madrepérolas levemente côncavas (e a do Bb LH, convexa), reforçam a sensação de bem estar e aguçam o senso de localização de cada nota, assim podemos trocar de instrumento (de um Alto para um Barítono, por exemplo) sem percalços.

 

Características:

 

ü  Acabamento dourado para o corpo e as chaves (na opção, inteiro prateado, a sua nomenclatura é acrescida do “ES” após o 275);

ü  Reforço estrutural no todel (com o intuito de prevenir desvios ao ângulo já estabelecido);

ü  Campana fixa; (para os casos que necessitem de reparo na couraça, o instrumento estará mais susceptível as manchas provocadas pela remoção e a adição da nova solda);

ü  Aranha inteiriça (característica física implementada desde o “Vito japonês”; e corresponde a alça que regula a abertura e protege as chaves C3, C#3, B2 e Bb2);

ü  Dedeira regulável (pode ser ajustada no sentido horário ou anti-horário, formado um ângulo agudo para melhor adequar-se a uma posição confortável para a sua mão);

ü  Campana lisa, apenas estampada com o nome Yamaha;

ü  Parafusos de fino ajuste (dá precisão e agilidade ao técnico no momento de corrigir pequenas folgas, vazamentos e movimentos duplos);

ü  Desenho ergonômico exclusivo (indubitavelmente este é “na mão” o saxofone mais confortável do mundo! Pergunte a quem for brasileiro!!!);

ü  Ressonadores de plástico (existe uma cultura favorável ao emprego dos ressonadores metálicos, mas estes já instalados em nada comprometem o desempenho do instrumento);

ü  Fabricado na Indonésia (o instrumento não é desabonado em absolutamente nada, por sua origem. Ainda não sei muita coisa sobre a produção de sopro fora do Japão, mas aguardem os próximos artigos!);

 

Recursos:

 

ü  Chave de F#5;

ü  F5 frontal (com madrepérola abaulada);

ü  G# articulado;

 

Acessórios:

     ü  Correia de nylon com gancho plástico ultra-resistente (sua cavidade profunda e o estreitamento na ponta do gancho nos provêm de acidentes);

     ü  Boquilha Yamaha #4C standard completa;

     ü  Palheta Rico #2,5;

     ü  Cork grease (previne o ressecamento e lubrifica a cortiça do todel;

     ü  Flanela (apenas para limpeza externa);

     ü  Estojo: “Hard Bag” tipo mochila recoberto por tecido sintético impermeável (contêm 4 compartimentos internos, um bolso grande frontal, espaço para embutir as alças e fecho éclair em todos os compartimentos);

     ü  Certificado de garantia (válido por 12 meses).

 

Falar com o Vendedor

 

Quanto Custa?

 

 Artigo Pblicado em: http://www.playtech.com.br/produto.asp?cod=152136

Publicado por: Alef Mansur | setembro 5, 2008

Sax Alto Jupiter JAS 567GL

Comentário:

Alef Mansur

 

 

     Provavelmente seja este o saxofone de utilização estudantil com melhores resultados numa análise racional; desde quanto custam, a como podemos avaliar sua aplicabilidade.

 

  O som se propaga de forma homogênea, envolvendo o ambiente com uma sonoridade ampla e imponente.

 

     Com timbre e projeção surpreendentes (para a categoria em que se acha), com seu acabamento sem falhas, e podendo designar como de boa atuação a sua boquilha, este saxofone adéqua-se a uma condição de bom custo-benefício; além de não necessitar de prévias intervenções técnicas para obter uma performance sem percalços.

 

     O Jupiter JAS 567GL é um instrumento de aplicação cotidiana para principiantes, atendendo bem as suas necessidades; e de ótimo rendimento nas mãos de estudantes avançados_ que usufruem de habilidade e conhecimento técnico para agregar valor musical ao que este instrumento naturalmente lhes oferece.

 

     Características:

  • Corpo e chaves laqueados (o JAS 567GL, substituiu JAS 565GL; ganhou novo laqueado/dourado mais intenso);
  • Campana removível (possibilita o acesso mais fácil à “couraça,” em casos eventuais de manutenção);
  • Logotipo gravado na campana;
  • Dedeira direita de ABS com opção de ajuste (esta é presa com um parafuso central, que dá opção de regulagem no sentido oblíquo_ para direita ou esquerda).

  Recursos:

  • F5 frontal (chave à ser acionada com o dedo indicador da mão direita);
  • Bb na mão esquerda (chave geralmente menor com madrepérola_ côncava ou convexa dependendo do fabricante_ que pode ser acionada simultaneamente com a chave de Si, pelo dedo indicador ou pelo dedo médio, simplesmente);
  • Chave de F# agudo (refere-se a nota da 3ª. oitava Fá#5, este recurso que permite uma 3ª. opção digitação);
  • G# articulado (esta chave é movida por qualquer mecanismo da mesa, facilitando algumas passagens);
  • Bb da “mesa” com desenho anatômico e interligado ao C#3 por um balancim (permite uma unidade do sistema, sem formar degraus entre as chaves).

  Acessórios:

  • Correia tipo “padded” com gancho plástico (de fecho mecânico);
  • Boquilha Jupiter #4C standard completa (produzida na Alemanha, é a melhor do gênero, na minha opinião);
  • Palheta Vandoren V16 #2,5 (lacrada para manter a mesma umidade de quando manufaturada – embalagem Flow Pack);
  • Cork grease Jupiter tipo bastão;
  • Tecido especial lavável com micro-fibras, para remoção de poeira, suor, etc;
  • Estojo de madeira com 4 compartimentos e fecho simples;
  • Kit de acessórios para limpeza;
  • Certificado de garantia (válido por 12 meses).

 

Artigo Publicado em: http://www.playtech.com.br/produto.asp?cod=234801

Categorias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.